•  sábado, 14 de dezembro de 2019

A Grande Rota das Aldeias Históricas: um caminho para percorrer a passos lentos

Na região do Centro de Portugal, um trajeto marca o caminho entre pequenos vilarejos, castelos medievais, tradições e paisagens de tirar o fôlego. Trata-se da Grande Rota das Aldeias Históricas de Portugal que, com seus 555 quilômetros, convida seus visitantes a conhecerem 12 aldeias cheias de charme e histórias para contar. Para acompanhar o ritmo pacato e de tranquilidade transmitido pela região, o caminho pode ser percorrido em bicicleta ou até mesmo caminhando.

Para os fãs de aventura e natureza, a GR22 – designação oficial da rota – garante passagens por serras, planícies, paisagens rurais, zonas ribeirinhas e parques. Em bicicleta, fica ainda mais fácil desfrutar as belezas naturais da região. Por ser homologada e classificada como Grande Travessia em nível nacional e possuir o selo Leading Quality Trails, Best of Europe, o trajeto possui ao longo da sua extensão uma rede de serviços que garantem apoio e segurança para os ciclistas.

Cada uma das aldeias guarda seus segredos e registra fragmentos da história da humanidade. Em Belmonte, onde a maioria dos visitantes começa o percurso, é possível ver calçadas romanas e construções medievais em meio à Serra da Estrela. Foi lá que nasceu o navegador Pedro Álvares Cabral, o primeiro europeu a desembarcar em terras brasileiras.

Em Idanha-a-Velha, os visitantes podem ver de perto uma das maiores concentrações arqueológicas do país. Já Marialva volta aos primeiros séculos, contando histórias de muitos conquistadores romanos e árabes. Em Piódão, por sua vez, o que chama a atenção são a arquitetura e suas construções azuis. Enquanto isso, em Monsanto, casas de pedra foram construídas em verdadeira simbiose com imensas rochas que estão lá há centenas de anos.

Percurso

Os 555 quilômetros da Grande Rota podem ser percorridos em até 28 etapas diárias, divididas em 12 setores. Cada setor começa e termina em cada uma das 12 Aldeias Históricas de Portugal, ou seja, é possível iniciar em qualquer uma das charmosas vilas.

Além disso, vale aproveitar o caminho da GR22 para conhecer outros percursos incríveis de Portugal. Nas aldeias históricas de Idanha-a-Velha e Monsanto, por exemplo, a rota se encontra com a GR12-E7, que é uma parte da Transeuropeia que liga Lisboa à costa da Romênia. Já nas aldeias de Almeida e Castelo Mendo e em Cidadelhe e Sabugal, a Grande Rota cruza com a GR45, a Grande Rota do Vale de Côa.

Ler Anterior

Só o amor não basta

Ler Próxima

GRATUITO! Evento pet traz agility em carros pela primeira vez ao Brasil