•  sábado, 08 de maio de 2021

Mundo das Crianças: espaço é utilizado por escolas para aprendizado a céu aberto e em contato com a natureza

Jundiaí concorre a prêmio internacional com projeto de desemparedamento das crianças

Jundiaí é uma das 631 cidades de 99 países do mundo que concorrem ao prêmio 2021 Global Mayors Challenge, da Fundação Bloomberg, uma competição de ideias que vai selecionar e apoiar as 50 soluções urbanas mais inovadoras desenvolvidas por cidades após a pandemia de Covid-19.

O projeto apresentado pelo município de Jundiaí tem como tema o desemparedamento dos alunos da rede municipal de ensino, para que as crianças tenham acesso diário, no mínimo por uma hora de contato com a natureza, e tenham a oportunidade de brincar e aprender ao ar livre. O projeto está em linha com a preocupação da Organização Mundial da Saúde, que tem alertado para os perigos das doenças que passaram a ser comuns entre crianças como sedentarismo, obesidade, diabetes, desequilíbrio emocional, depressão, déficit de atenção e dificuldades de aprendizagem.

O parque Mundo das Crianças, os espaços ao ar livre nas escolas, praças e centros esportivos nos bairros são utilizados como salas de aula a céu aberto para o desenvolvimento das atividades infantis.

De acordo com o prefeito de Jundiaí, Luiz Fernando Machado, a participação em um prêmio tão importante vai ao encontro da proposta de internacionalizar Jundiaí. “Nossa cidade apresentou uma solução inovadora para retorno às aulas nesses tempos de pandemia da Covid-19. O projeto que adotamos, de desemparedamento das crianças, ganhou destaque na imprensa nacional no início ao ano”, declara Luiz Fernando. “Queremos agora dar um passo ainda maior e apresentar esse trabalho inovador para o mundo.”

O desenvolvimento do projeto teve início em janeiro, quando o prêmio foi anunciado, e diversas unidades de gestão, sob a coordenação do gestor de Governo e Finanças, participaram da estruturação do projeto que foi apresentado no Global Mayors Challenge, em março.

“Sabemos do desafio de ficar entre as 50 cidades escolhidas, mas temos convicção de que o projeto que apresentamos pode ser replicado em outras cidades do mundo, pois o problema identificado é comum a todas elas. O ineditismo do projeto de desemparedamento aqui no Brasil está alinhado com o compromisso estratégico da Administração Municipal de tornar a cidade boa para as crianças. O Manual de Orientação da Sociedade Brasileira de Pediatria atesta que os espaços públicos que oferecem  maior contato com a natureza melhoram todos os marcos mais importantes de uma infância saudável – imunidade, memória, sono, capacidade de aprendizado, sociabilidade, capacidade física – e contribuem significativamente para o bem-estar integral de crianças e jovens”, destaca o gestor de Governo e Finanças, José Antonio Parimoschi.

Crianças aprendem no gramado da escola Pedro de Oliveira
O desemparedamento aplicado na EMEB Pedro de Oliveira, com aprendizado em espaço aberto

“Nós saímos das salas de aula e fomos para espaços abertos, arborizados, como o Mundo das Crianças, os complexos esportivos e as praças dos bairros”, explica a gestora de Educação, Vastí Ferrari Marques. “Mesmo antes da pandemia já existia um problema de emparedamento da infância e o atual cenário da pandemia acelerou a busca por uma solução para isso.”

Segundo anunciou a instituição responsável pelo prêmio, a Bloomberg Philanthropies, nesta edição houve recorde de inscrições. As 631 cidades inscritas ao redor do globo representam 500 milhões de pessoas e sua maior parte está nas Américas, com 270 municípios participantes. As 50 cidades vencedoras serão anunciadas em junho. Em dezembro, 15 municípios entre os 50 vencedores serão escolhidos para receber mais 1 milhão de dólares cada um.

Ler Anterior

SP inicia a produção de mais 5 milhões de doses da vacina do Butantan

Ler Próxima

Hipertensão eleva riscos de trombose em infectados pelo coronavírus; casos em jovens preocupam