•  quarta-feira, 12 de agosto de 2020

Donos de pets apostam em casinhas feitas com materiais reciclados

A casinha ecológica é uma boa alternativa para garantir o conforto e o bem-estar do animal de estimação, economizar e contribuir com o meio-ambiente. Por causa do custo-benefício, o produto já se tornou aliado de muitos donos de pets, mantendo aquecido o mercado na região de Sorocaba (SP).

A mestiça de pitbull Raja ganhou uma casinha ecológica de presente da irmã do dono, o artista João Paulo Ferreira, e se adaptou bem ao material diferente.

“Já tem cinco anos de uso e está inteira, exceto algumas mordidas, mas que não comprometeram a estrutura. Desde o primeiro dia ela já entrou e se acomodou”, explica.

Para quem quer economizar, João recomenda a compra desse tipo de casinha. “Ela não é tão bonita esteticamente se comparada à de madeira e plástico, mas, em termos de funcionalidade, durabilidade e segurança, é a melhor.”

Segundo a bióloga Mariana Pintor Parra, a lista de vantagens é grande. “Além de serem feitas com material reciclado, essas casinhas oferecem para os animais mais conforto e higiene, reduzindo em até 40% a temperatura externa. São impermeáveis, fáceis de lavar e semi acústicas.”

Em relação ao custo-benefício, as casinhas ecológicas levam vantagem quando comparadas às de outros materiais, como plástico, que não são antitérmicas, e madeira, que não são laváveis.

“A procura cresceu muito nos últimos anos. É o tipo de casinha que mais vende. Nós vendemos a menor por R$ 38 e a maior por R$ 145. A maior de plástico, pelo mesmo tamanho, vendemos por R$ 309,90, é uma boa diferença de preço”, comenta a gerente de um pet shop de Itu (SP) Beatriz Santos Silveira.

Produção

O valor mais em conta pode ser atribuído à simplicidade da produção. As casinhas ecológicas são produzidas através de materiais recicláveis, que são transformados em chapas.

O processo envolve o corte nos moldes de tamanhos, reforços com sarrafos, furação de madeira e embalagem.

“Existem vários tipos de chapas recicláveis, algumas produzidas com plásticos, caixas de leite, entre outros. Hoje, nós utilizamos uma chapa feita exclusivamente de tubos de creme dental. É um material mais resistente”, explica Adriano Pizatto, responsável por uma empresa de suprimentos para pets de Dois Córregos (SP).

“Ao reutilizar um material que seria lixo, realizamos um processo necessário para o ambiente. Se quisermos pensar em um futuro para o nosso planeta, reciclar hoje é obrigação”, completa Adriano.

G1

Ler Anterior

Obras do Cine Teatro atingem 75% de conclusão em Itupeva

Ler Próxima

Jundiaí registra crescimento de 68,3% nos lançamentos de imóveis