•  terça-feira, 20 de outubro de 2020

Krav Magá tem aumento de popularidade entre as crianças no Youtube

Aulas ganham espaço na rotina dos pequenos e ajudam a combater a ansiedade

Quando o isolamento social foi decretado e vídeos da Federação Internacional de Krav Magá começaram ser postados no Youtube, Avigdor Zalmon, presidente da Federação e responsável pelo ensino da arte no Estado de São Paulo, não imaginava que a prática faria tanto sucesso entre as crianças. “Atualmente temos mais de 4.500 inscritos no nosso canal do Youtube e grande parte dos alunos inseriu os filhos nos treinos, pois é um momento que pode ser divertido, porém os exercícios e a aprendizagem são de extrema importância para o dia-a-dia”, afirma.

Nos últimos anos, a técnica foi popularizada e entre os alunos estão crianças cujos pais se preocupam com o “perigo de estranhos” e os problemas de Bullying, mulheres que querem se proteger de assédio e agressões, e adolescentes com medo de “valentões”. “A disseminação do Krav Magá também segue pelos departamentos de polícia, agências governamentais, Exército, Marinha, Força Aérea e Fuzileiros Navais, que treinam a técnica há pelo menos uma década” explica Zalmon.

O Krav Magá já é ensinado regularmente para crianças em idade escolar em Israel e é aprovado pelo Ministério da Educação do país. “A pergunta mais frequente dos pais é: mas isso funciona na vida real? Uma criança pode realmente se defender de um adulto quatro vezes maior? Sim, uma criança consegue reagir com eficiência e rapidez, e sair da situação do perigo, pois o Krav Magá não exige força física, e se baseia na transferência do peso na direção do agressor e na velocidade do membro na hora de golpear o mesmo.

Avigdor sempre lembra aos alunos que o Krav Magá deve ser usado apenas para se defender em casos de perigo. “Através dos treinos da Federação Internacional de Krav Magá, a criança aprende a se defender, supera o medo da violência e do bullying, recupera sua autoestima e autoconfiança e anda mais seguro na rua” – finaliza.

 

Ler Anterior

Frente fria mais forte do ano pede sopa para esquentar

Ler Próxima

O medo nosso de cada dia