•  terça-feira, 20 de outubro de 2020

Cinemas reabrem em São Paulo e Brasil tem mais de 10 capitais com salas abertas

Desde sábado (10), os cinemas da cidade de São Paulo já podiam voltar a funcionar, mas a maioria das salas da capital reabrem nesta quinta (15). Assim, o país já soma mais de 50 cidades com salas abertas.

Além de São Paulo, as capitais que já receberam autorização para reabrir são Manaus (AM), Salvador (BA), Fortaleza (CE), Vitória (ES), Campo Grande (MS), Belém (PA), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Macapá (AP) e Cuiabá (MT).

E algumas ainda ensaiam a volta, com a publicação de protocolos de segurança, mas sem data estabelecida, como Maceió (AL), Belo Horizonte (MG) e Aracaju (SE).

Cada cidade estabelece protocolos de segurança específicos para os cinemas. Mas de modo geral, entre as principais mudanças, estão:

  • Intervalo maior entre as sessões para higienização de todas as poltronas;
  • Redução da capacidade das salas, com poltronas bloqueadas;
  • Uso obrigatório de máscara para funcionários e para o público;
  • Medição diária da temperatura dos funcionários;
  • Aumento das equipes de limpeza;
  • Sistema de purificação do ar-condicionado.

 

Programação

Além da segurança, outra questão delicada na reabertura dos cinemas é a falta de grandes lançamentos. Por enquanto, os estabelecimentos têm apostado em longas que estrearam no começo do ano, festivais temáticos ou filmes menores que tiveram estreia adiada durante o isolamento.

Com o festival “De volta para os cinemas”, organizado por diversos grupos de cinema no Brasil, também existe a opção de sucessos clássicos e recentes.

Mas público e mercado aguardam os blockbusters previstos para este ano, como “Mulher maravilha 1984” e “Viúva negra”. Nos Estados Unidos e no Reino Unido, a Cineworld, uma das maiores operadoras de cinema do mundo, voltou a fechar as portas devido ao adiamento destes filmes.

De acordo com o diretor de marketing da rede Cinemark, Daniel Campos, cinemas e distribuidoras têm conversado no Brasil para que não haja falta de novidades e, consequentemente, um novo fechamento das salas. Segundo o diretor, a reabertura em mais cidades vai pressionar estúdios e distribuidoras que estão segurando filmes com potencial.

“Eles já estão trazendo filmes novos, abrimos em São Paulo com seis inéditos. Dia 29 tem ‘Tenet’, do Christopher Nolan. A partir daí, temos um filme grande por semana até o fim do ano. Existe essa organização do portfólio, mas só vira verdade se os cinemas estiverem de fato abertos”, explica Campos.

G1

Ler Anterior

Mulheres em cargos de liderança ganham, em média, 23% a menos que homens, aponta pesquisa

Ler Próxima

Mau humor externo por nova onda da Covid-19 faz bolsa cair forte; dólar sobe