•  quarta-feira, 28 de outubro de 2020

SP anuncia obra de Clarice Lispector e outros títulos em formatos acessíveis

Nesta terça-feira (22), a Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Célia Leão, anunciará quatro obras literárias acessíveis no mais variados formato (libras, legenda, áudio, imagem e leitura simples). São elas: “Come, menino”, de Letícia Wierzchowski; “A Mulher que Matou os Peixes”, de Clarice Lispector; “Um Sonho no Caroço de Abacate”, de Moacyr Scliar e “A Aldeia Sagrada”, de Francisco Marins.

Por meio de live transmitida nas redes sociais do Governo de São Paulo, o evento online, que acontece às 10h, contará com a presença do Secretário de Estado da Educação, Rossieli Soares, Secretário de Estado da Cultura, Sergio Sá Leitão, Coordenadora Geral da ONG Mais Diferenças, Carla Mauch, e a intérprete de Libras Nara Oliveira.

Com o objetivo de proporcionar o acesso de pessoas com deficiência ao mundo da literatura, a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SEDPcD) já disponibiliza no site 13 obras literárias acessíveis. A ação faz parte do programa Leitura Inclusiva.

As obras, que podem ser acessadas no site http://www.pessoacomdeficiencia.sp.gov.br/livros-acessiveis/, contribuem com a equiparação de oportunidades e o fortalecimento das políticas, programas e projetos relativos aos direitos das pessoas com deficiência, com ênfase no acesso ao livro e à leitura, introduzindo a questão da acessibilidade e inclusão, de forma articulada e transversal.

Leitura Inclusiva

O programa da SEDPcD, em parceria com o Centro de Tecnologia e Inovação (CTI) e a ONG Mais Diferenças, por meio da Emenda Parlamentar nº 8246/2018 de autoria do ex-deputado Roberto Tripoli, garante o acesso de todas as pessoas aos livros acessíveis, que possuem diversos recursos de acessibilidade, como narração e texto em português, audiodescrição e animação das imagens, tradução e interpretação em Libras e leitura fácil – que traz adequações em relação à linguagem, conteúdo e forma para ampliar a compreensão.

A iniciativa prevê ainda a realização de oficinas de formação e sensibilização de profissionais da educação, cultura, assistência social, bibliotecários, mediadores de leitura e outros profissionais interessados às práticas acessíveis e inclusivas voltadas à leitura.

Ler Anterior

Conheça alguns dos alimentos típicos da primavera

Ler Próxima

Justiça e Shopping Light arrecadam 540 kg de alimentos para população LGBTQIA